• André Zenobini

Crítica de Cinema: Extraordinário tem o título perfeito


As marcas do nosso rosto nos ajudam a explicar a nossa história. As marcas que levamos em nossa vida são muitas, sejam elas visíveis ou invisíveis. Conheci na última sexta-feira, 08 de dezembro, a história de Auggie, personagem central do filme "Extraordinário". Sobre ele, duas boas notícias: o título é perfeito para o filme e a presença da brasileira Sônia Braga também é um ótimo complemento.


O filme conta a história de August Pullman, Auggie para os íntimos. Um garoto que nasceu com sérios problemas de saúde e para manter-se vivo precisou de médicos e cirurgias boa parte da sua vida. Na história, o conhecemos a partir de sua ida para o ensino regular. O menino, um apaixonado pelo espaço sideral, tinha em seu rosto as muitas marcas de todos os procedimentos cirúrgicos o que o tornava diferente de todas as outras crianças.


A atuação de Jacob Tremblay, que interpreta Auggie, é um presente para o telespectador. Ele faz você querer ser o melhor amigo de Auggie. A família do garoto é composta por sua mãe, interpretada por Julia Roberts e Owen Wilson fez o pai. Não é preciso falar sobre a atuação de ambos que torna o filme ainda mais real e emocionante. Julia Roberts é uma mãe que largou tudo para cuidar do garoto enquanto Owen é o cara que todos querem como pai.


Completando a família, conhecemos a irmã, interpretada por Izabela Vidoc. Foi com ela que o espectador levou um tapa ao perceber que durante boa parte da história vivia exatamente como Roberts e Wilson: dentro do mundo de Auggie. A preocupação, o cuidado com o menino os fizeram esquecer e minimizar todos os fatos da vida da garota que via na avó seu maior porto seguro. A personagem interpretada por Sônia Braga fez uma breve aparição mas que ajudou a caírem mais lágrimas dos espectadores.


Auggie vai para a escola e conhece três outros alunos. Apenas um deles acaba verdadeiramente conhecendo Auggie e outro mostra-se o valentão. A história e as relações escolares exploram muito do cotidiano de muita gente: caras feias, cochichos, ameaças e exclusão. Bullying, o tempo todo. O mundo de Auggie é marcado não só por suas cicatrizes mas pelas muitas dificuldades de uma criança diferente mas extremamente inteligente.


Mostrando a realidade dos Pullman, o filme te remete a muitas passagens da nossa própria existência, versa sobre a importância do amor, da amizade e principalmente da necessidade urgente de nos livrarmos dos estereótipos para que possamos todos aprender a respeitar o outro, independente de sua imagem ou vontade.


Auggie era o sol e todos os outros estavam ao seu redor. Pro bem e pro mal. No centro do universo de cada um temos aqueles que nos protegem e tentam nos derrubar mas o mais importante é a resistência. Auggie ensina que o diferente também é bom, humano e com sentimentos. Auggie também ensina que é preciso olhar a todos pois carinho e atenção é essencial sempre.


Extraordinário é um filme verdadeiramente diferente. Uma obra singela sobre o dia a dia. Uma doçura dolorosa que leva a todos no cinema as lágrimas em muitas cenas. Por fim, garanto: Extraordinário é o filme mais essencial para você assistir no ano de 2017.


Imagem: Google.

57 visualizações
  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube

Rio Grande - RS - Brasil © 2020 por AZ Comunicação

Grupo Zenobini - Assessoria e Mídia

CNPJ: 29.654.842/0001-49

Desenvolvido por 1060 Logos